Instituto

Conheça um pouco da história de como foi fundado o Instituto de Formação de Líderes de Belo Horizonte

Instituto de Formação de Líderes (IFL) completa 15 anos em Belo Horizonte

Fundado pelo empresário Salim Mattar, instituto propõe formação de lideranças a fim de desempenharem seus papéis enquanto agentes de transformação.

Segue o líder! Quem nunca ouviu essa expressão no mudo do futebol? A brincadeira que virou jargão no esporte coloca em evidência o time que ocupa a posição mais nobre da tabela, o primeiro lugar. Entretanto, o significado da palavra “líder” vai muito além das definições utilizadas no esporte. Liderar, segundo o dicionário de língua portuguesa, é também influenciar, guiar, ser referência. E é debruçado neste sentido que o Instituto de Formação de Líderes (IFL-BH) atua na capital mineira incentivando e promovendo seus associados por meio de metodologias que buscam capacitá-los e prepará-los para desempenharem seus papéis enquanto agentes de mudança. Em suma, o instituto não busca formar um líder apenas pela posição que ocupa, e sim, fortalecer este posto com diretrizes que mudam não só o próprio negócio, mas também a comunidade em que ele está inserido.

Instituído pelo empresário mineiro Salim Mattar – que trouxe para Belo Horizonte, em 2007, o Instituto de Estudos Empresariais (IEE) –, o IFL deu continuidade ao seu precursor em 2011, fundindo valores e conceitos comuns entre os institutos, voltados para a liberdade individual, respeito à propriedade privada, livre mercado, estado de direito, dentre outros. A partir de então, o IFL cresceu e alcançou grandes nomes do empresariado mineiro, como Ronney Antunes (Centerlab), Evandro Negrão de Lima (Sancruza e MyMall), Silvia Araújo (Drogaria Araújo), Tatiana Mattar (Localiza), Daniel Katz (Katz Construtora), Rafael Ohana (klus), dentre tantos outros, se consolidando como referência na formação de jovens lideranças conscientes de seu papel político.

Embora seja uma entidade civil sem fins lucrativos ou quaisquer compromissos político-partidários, o instituto transmite aos seus associados a importância e necessidade da construção de um país mais livre e próspero, com base nos valores liberais. “Para líderes em si, o IFL é um divisor de águas, como dito voluntariamente por quase todos que passam por aqui. Além de um ótimo programa de liderança, o instituto conscientiza seus associados acerca de economia e política, por exemplo, que são pontos que todo líder deve estar antenado, tanto para sua vida pessoal, quanto profissional”, declara o advogado Thiago Oliveira Campos, atual diretor de eventos do Instituto.

Amparado em um ciclo de formação composto por leituras complementares, dissertações, apresentações, debates, júris simulados, além de participação em fóruns e seminários, o Instituo de Formação de Líderes oferece atividades contínuas capazes de proporcionarem um nível de evolução muito além do campo teórico. “Acreditamos que o conjunto de entrega de todas essas atividades são essenciais no desenvolvimento das aptidões de um grande líder. Além delas, buscamos sempre trazer para os nossos associados atividades com palestrantes líderes e referências em suas áreas de atuação, propiciando uma troca muito próxima entre associado e o convidado em questão, incentivando o compartilhamento de experiências e desafios. É um momento único para aprender na prática, com professores e gestores que estão à frente de grandes negócios”, define a empresária Marina Rezende Ferreira, diretora e vice presidente do instituto durante o ano de 2022.

Divididos em cinco níveis (Qualifier, Associado I, Associado II, Fellow e Honorário), os associados do IFL passam pelo menos 42 meses até completarem o ciclo de formação. Entre resenhas e artigos sobre livros e filmes, participação em eventos, debates, palestras, júri simulado, e outras tantas atividades propostas pelo instituto, os associados vivenciam um ambiente diverso, ocupado por representantes dos mais variados segmentos da capital. Esse ecossistema eleva o nível de desenvolvimento particular, mas também fortalece as bases empresariais das localidades onde o instituto se insere, já que existem outras cinco unidades espalhadas pelo Brasil. “Uma vez que o IFL proporciona um ciclo de formação de nível elevado para seus associados, ele permite que as grandes lideranças possam retribuir a sociedade tudo aquilo que lhe foi ensinado”, declara Laura Rabello, presidente do IFL.

Embora não seja um instituto focado em networking para negócios, o encontro dessas lideranças emerge naturalmente como uma grande roda de oportunidades por meio da criação de ambientes que reúnem pessoas de diversos segmentos, gerando uma grande exposição dentro do mercado. “Além disso, como um dos principais pilares do instituto é a ética, automaticamente, se um dos seus associados fizer parte do ciclo de formação proposto pelo IFL, sendo assim, guiado nesta premissa, acaba garantindo mais confiabilidade na gestão de sua empresa”, explica Gustavo Vaz, diretor de formação do instituto. Outro diferencial é a conexão existente entre os institutos espalhados Brasil afora, o que possibilita o estabelecimento de redes de contato entre os associados, favorecendo cada respectivo negócio, tanto no curto quanto no longo prazo. “Sendo as lideranças pautadas pelos mesmos valores, identificamos uma maior probabilidade de garantia de prosperidade nas transações que ocorrem entre associados, afinal, eles compartilham das mesmas premissas”, reforça.

Seja por meio dos eventos semanais programados, encontros sazonais como os seminários, ou um grande evento aberto ao público geral – como o Fórum da Liberdade e Democracia –, o instituto está sempre buscando agregar conhecimento, cultura e valor em suas ações, sejam elas voltada apenas aos associados, ou abertas à sociedade. “Nosso Fórum da Liberdade e Democracia, por exemplo, é um debate em alto nível feito sempre com grandes referências. Além do patrono do IFL, Salim Mattar, contamos nos últimos anos com apresentações como a de Cristina Junqueira, CEO do Nubank, Israel Salmem, fundador da Méliuz, Fernando Cirne, CEO da Locaweb, e mais tantos outros. A posse da diretoria, que marca a troca de bastão no comando do instituto no início de cada ano, também é uma ótima oportunidade de conhecimento. No ano passado, tivemos a participação do presidente executivo da XP Investimentos, Guilherme Benchimol, e neste ano temos confirmada uma apresentação do Governador de Minas Gerais, Romeu Zema”, revela Marina. Marcado para o próximo dia 16, o evento de posse da nova diretoria do IFL irá reunir convidados exclusivos no Teatro Feluma, localizado no prédio da faculdade Ciências Médicas, com transmissão nacional.

Com uma base técnica intelectual voltada para a parte filosófica, política, administrativa e de liderança, o instituto oferece uma formação completa aos seus associados. “Para a sociedade, o IFL abre a mente para visões que são pouco discutidas no Brasil, com enfoque muito grande em ética, em liberdade individual e a liberdade do mercado econômico. Esse desenvolvimento ajuda o país a seguir um caminho em direção à prosperidade, inspirado pela visão de países liberais que, sob a nossa perspectiva, servem como exemplo de desenvolvimento humano”, enfatiza Gustavo Vaz, Diretor de Formação.

Celebrando a marca de associados instituídos desde o início de suas atividades, o IFL comemora também sua consolidação através das lideranças formadas por lá, cada vez mais marcantes para o desenvolvimento econômico e social de Belo Horizonte. Entre eles estão Carolina Antunes, cofundadora do IFL Brasil, Victor Cezarini, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Evandro Negrão de Lima, vice-presidente do Partido Novo em MG, para citar alguns. De acordo com a presidente Laura Rabello, o IFL não para e segue trabalhando para formar novas lideranças, que realmente possam causar um impacto positivo na sociedade. Para isso, a empresária manda um recado aos novos pretendentes: “para se tornar um membro que carrega o nosso nome e princípios, o interessado deve enviar um e-mail através do nosso site e, em sequência, participar do processo seletivo. Uma vez aqui, ele receberá todas as condições para a sua evolução até se tornar um grande líder”, encerra.