Patrono Salim Mattar

Conheça um pouco da história e o perfil de Salim Mattar, patrono por trás da fundação do Instituto de Formação de Líderes de Belo Horizonte

Salim Mattar

Salim Mattar

Salim Mattar. Se há um nome capaz de traduzir com fidelidade o que significa ser um patrono para o IFL é este. O Salim é muito mais do que um patrocinador do IFL. É o Patrono do instituto e da idéia de que é possível construir um país melhor, mais livre, justo e própspero, através da formação de lideranças com base em valores e princípios éticos sólidos. Muito do que somos e conquistamos só foi possível porque ele, desde o início, acreditou que poderíamos chegar até aqui e não mediu esforços para que atingíssemos nossos objetivos.

Nasci em Oliveira, Minas Gerais, e sou descendente de família de imigrantes libaneses, de sangue fenício, povo conhecido por serem os maiores comerciantes da antiguidade.

Aos 8 anos, pedi uma bicicleta de presente ao meu pai, mas recebi dois sacos de laranja e um canivete. Sem compreender o significado daquilo fomos juntos para o portão de um estádio de futebol vender as frutas descascadas. No fim do dia, além do dinheiro que ganhei, aprendi uma valiosa lição: o valor do trabalho, ainda que simples, dignifica, disciplina e traz recompensa financeira. Assim começava a minha vida empresarial. Aos 13 anos, após a morte prematura de meu pai, meus irmãos e eu assumimos a administração do comércio de nossa família.

Aos 16 anos, ao fazer um curso noturno de contabilidade em Oliveira, cidade no interior de Minas Gerais, o professor adotou o livro ‘A Riqueza das Nações’, de Adam Smith. A partir daquele momento o ideário liberal passou a fazer parte da minha vida. Ao longo dos anos estudei o liberalismo e acredito ser a solução para os problemas de nosso país.

Aos 17 anos saí de Oliveira rumo a Belo Horizonte capital de Minas Gerais onde comecei a trabalhar como office boy em uma pequena empresa de engenharia e ao pagar uma conta conheci o negócio de aluguel de carros. Com a fatura em mãos fiz um cálculo rápido e decidi que aquele era o negócio que deveria abrir. Também aos 17 anos conheci a obra “O caminho da servidão” do economista da Escola Austríaca Friedrich Hayek. Posteriormente estudei administração na Fundação Universidade de Minas Gerais – FUMEC.

Aos 24 anos, juntamente com meus sócios, fundei a Localiza Rent a Car S/A com apenas 6 fuscas usados e comprados a crédito. Atualmente a empresa é a mais valiosa companhia de aluguel de carros listada de todo o mundo. Como CEO da Localiza fui considerado Best CEO por dois anos consecutivos pela revista Institucional Investor e considerado um dos 50 CEOs de melhor desempenho na América Latina pela Revista Harvard Business Review.

Estou engajado na causa liberal desde a década de 80 por meio de institutos, associações e organizações da sociedade civil que defendem os ideais baseados no Estado de Direito, economia de mercado, livre iniciativa, direito de propriedade, princípios da subsidiariedade, redução do tamanho do estado e acima de tudo pela liberdade individual, política e econômica. Financiei a edição de diversos livros, dentre os quais ‘A Revolta de Atlas’ de Ayn Rand, obra de ficção que virou um manifesto do pensamento liberal em todo o mundo.

Frequentei o Instituto Liberal nos anos 80 ao lado de grandes ícones do liberalismo brasileiro como Og Leme, Donald Stewart Jr e Roberto Campos. Motivado por esse ideal, fundei o instituto de Formação de Líderes hoje presente em Belo Horizonte, Brasília, Florianópolis, Fortaleza, Lajeado, Recife e São Paulo e, atualmente, em expansão para outras capitais. Também apoio muitas das cerca de 120 instituições liberais presentes em diversas regiões do país.

Atualmente dedico-me à disseminação do ideário liberal e na formação de futuros líderes. Considero que o estado é gigantesco, inchado, lento, burocrático e oneroso para o pagador de impostos e sufoca o cidadão e a iniciativa privada. Minha missão é propagar as ideias liberais pois somente assim poderemos ter mais liberdade, respeito ao direito de propriedade, livre mercado e menos estado.